NovidadesPolítica

Seca do rio Solimões impede chegada de mercadorias em Benjamin Constant e Atalaia do Norte (AM)

As embarcações que abastecem com mercadorias os municípios de Benjamin Constant e Atalaia do Norte, no Alto Solimões, estão encalhando nos bancos de areia que surgem com a diminuição no nível das águas, nesse período de verão amazônico.

 A Marinha do Brasil, alertou sobre a necessidade de as embarcações maiores transferirem as mercadorias para embarcações menores para que elas possam chegar ao destino. O capitão orientou, ainda, que os comandantes usem as cartas náuticas para terem mais segurança na navegação.

Os barcos e até mesmo as lanchas rápidas não conseguem chegar em Benjamin Constant, o que tem aumentado o preços das mercadorias, no comercio local, já que os lojistas precisam fretar outras embarcações menores para buscar os produtos em Tabatinga, há 18 kms via fluvial.

A gerente de um supermercado na cidade, Geize Gomes, disse que o preço duplicou, pois os lojistas precisam pagar dois fretes, um do barco que vem de Manaus com a mercadoria e outro frete de canoas menores que trazem de Tabatinga até Benjamin Constant.

Em Benjamin, que não tem poço artesiano, e a maior parte da população consome agua mineral comprada, já falta água nas distribuidoras e supermercados. A situação piora em Atalaia do Norte, onde segundo um comerciante, o preço triplica, pois é necessário pagar outro frete de Benjamin até Atalaia.

As associações comerciais dos dois municipíos ainda não informaram se pediram ajuda das autoridades sobre o assunto.

Por: Marcello Bhacana

Botão Voltar ao topo